Compre ou alugue pelo nosso WhatsApp:
TODOS
PARA ALUGAR
PARA COMPRAR

Capacete Alpinista

CAPACETE ALPINISTA: O BÁSICO E INDISPENSÁVEL DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAIS.

Quando pensamos em esportes radicais e perigosos, é quase instintivo que imagens de indivíduos fortes e bem preparados fisicamente descendo em rapel, saltando de paraquedas ou fazendo manobras arriscadas em um skate ou motocicleta, apareçam em nossa mente.

Capacete de Alpinista Epi

Capacete de Alpinista Epi desenvolvidos para oferecer conforto total ao usuário, proporci...

SKU: R3010954

A consultar

Pode não parecer, mas essas atividades arriscadas tem algo em comum com o trabalho em altura (além do perigo que naturalmente as envolve, é claro!): o uso de um EPI muito conhecido e popular do público. Seja qual for o modelo, em todas as imagens que nossa mente projeta, o capacete é figura garantida.

A espécie pode variar, mas, para que a atividade desenvolvida – seja ela profissional ou esportiva – tenha plena segurança e não arrisque a integridade física do trabalhador ou participante, o uso do capacete é imprescindível.

A variação do modelo não é por acaso, já que cada atividade possui suas particularidades e, por isso, demanda diferentes EPIs. Nesse texto, abordaremos o capacete alpinista, indispensável quando falamos de trabalho em altura. Acompanhe!

POR QUE É IMPORTANTE UTILIZAR O CAPACETE ALPINISTA DURANTE A EXECUÇÃO DE UM TRABALHO EM ALTURA?

Considera-se trabalho em altura todo serviço realizado a mais de 2 metros do chão, com risco de queda. Justamente por conta da natureza arriscada, surge a função primordial da Norma Reguladora 35 (NR35): diminuir o número de acidentes relacionados a este tipo de função. 

Não é necessário dizer que isso se deve pelo fato de que qualquer acidente acontecido durante a realização do trabalho em altura pode acarretar graves danos à saúde do executor da função e, em casos extremos, até mesmo em fatalidades maiores.

Por esse motivo, a NR35 é responsável por firmar diretrizes para o trabalho em altura. Em sua redação, a norma determina, entre outras coisas, que o responsável pelo serviço deve promover a segurança e proteção dos trabalhadores, fornecendo a eles:

  • O planejamento correto e linear das atividades que deverão ser realizadas;
  • Treinamento e qualificação com foco total no trabalho proposto;
  • Alternativas de atendimento emergencial, para o caso da ocorrência de algum acidente;
  • Equipamentos de proteção individuais.

Dentro do rol de equipamentos de proteção individuais fundamentais para o andamento seguro do trabalho em altura está inserido o capacete alpinista, como uma ferramenta utilizada exclusivamente para proteção do trabalhador.

Seu uso é imprescindível, pois, além da recomendação expressa na norma regulamentadora, o capacete alpinista é capaz de proteger o colaborador não só no caso de quedas, como também de possíveis impactos nas estruturas ao redor e de objetos que venham a cair de um ponto acima da cabeça do indivíduo.

Como exposto no título do nosso artigo, o capacete alpinista é um EPI tão básico quanto essencial e, desde que utilizado no modelo e forma correta, pode salvar vidas. 

Isso nos leva a outro ponto:

QUAL A DIFERENÇA ENTRE O CAPACETE ALPINISTA E O CAPACETE DE SEGURANÇA COMUM?

Por mais que todos os modelos de capacetes tenham como função primordial a proteção da cabeça contra impactos dos mais variados tipos, existe uma espécie a ser utilizada para cada função.

Os capacetes de segurança comuns podem ser diferenciados por cor, por tamanho da aba e, até mesmo, por sutis mudanças em sua estrutura. Cada uma dessas diferenças existe por um motivo e os adequa perfeitamente ao trabalho que será realizado. 

Podemos citar, por exemplo, a classificação por cores:

  • Capacetes azuis: pedreiros;
  • Capacetes vermelhos: bombeiros;
  • Capacetes amarelos: visitantes da obra;
  • Capacetes laranjas: eletricistas.

Como pudemos observar, cada cor dos capacetes de segurança indica uma função a ser realizada na obra. Entretanto, é necessário frisar que são várias as cores e não há uma norma que defina oficialmente o padrão de uso.

No caso do trabalho em altura, foco principal do nosso artigo, o modelo ideal de capacete para proteção dos trabalhadores é chamado de capacete alpinista. 

O capacete alpinista conta com um sistema jugular de três pontos, preso no queixo do trabalhador. Trata-se de uma proteção extra, necessária porque, com os movimentos rápidos e bruscos, normais da profissão, o capacete não pode se desprender da cabeça e cair.

Outra particularidade advém do fato de que o capacete alpinista não possui aba ou viseira, pois essa estrutura pode dificultar a visão do trabalhador e, consequentemente, atrapalhá-lo na execução da função, já que terá dificuldade em enxergar.

Assim, a principal diferença entre o capacete de segurança comum e o capacete alpinista reside em sua estrutura:

  • O capacete de segurança comum permanece solto na cabeça do trabalhador, conta com abas para proteger a visão dos raios de sol e tem cores diferentes, que diferenciam as funções no campo de obras;
  • O capacete alpinista, por sua vez, possui um sistema de fixação na cabeça e não possui abas, para facilitar a visão durante a execução do projeto.

Não é demais lembrar que o capacete alpinista e os demais EPIs utilizados no trabalho em altura devem contar com limpeza e manutenção constantes para que a resistência do material se mantenha mesmo com o passar do tempo.

Gostou das dicas? Não esqueça de investir em capacete alpinista de qualidade para sua equipe! 

Open chat